Reflexão sobre a paralisação da Policia Militar

imagemEsta semana foi decretada paralisação da PMPE e a imprensa se pergunta e a sociedade não sabe o que fazer, talvez possa tentar dizer a Imprensa e a sociedade o que fazer.

É notório e não há dúvidas e posso atestar que a sociedade em sua maioria, quase que absoluta, reconhece a importância do papel primordial da PM nas ruas de cada cidade, tive a oportunidade de participar do Programa de Marcelo Damasceno nesta quarta-feira (14), quando o radialista antes de nos conceder a palavra, passou a indagar a população, “liguem pra rádio, esta rádio não tem sensura, digam se a Policia Militar presta um bom serviço, a policia Militar goza de sua confiança e credibilidade, você cidadão, ainda acredita na Policia Militar?”, e como de esperar, as pessoas entraram no ar e disseram do respeito que tem pela nossa instituição, sendo obrigado o radialista a encerrar as ligações pela quantidade enorme de ligações que chegaram ao estúdio.

Quanto à situação da paralisação da Policia Militar em Pernambuco, onde nossos Policiais Militares encontram-se em vários quartéis do estado aquartelados e sob um regime militar que suprime um dos nossos maiores direitos constitucionais que o “direito a liberdade de expressar seus pensamentos e direito a reivindicar suas necessidades”, enquanto isto, será que esta mesma sociedade que diz reconhecer o trabalho destes nobres heróis, como bem diz nossa oração Policial Militar “deixamos nossas casas sem saber se a ela vamos retornar”; será que o pouco que nossa sociedade pode fazer, sendo o porta voz daqueles que arriscam suas vidas, para gritar em nome desta classe reprimida por um sistema antigo e ultrapassado, um grito de socorro.

Será que nossa imprensa que tanto propaga a violência, o abuso e a desordem com a falta de segurança nas ruas, não vê que esta classe esta sofrendo, desamparados pela Legislação e sofrendo pela de apoio destes que sentem a falta dos Policiais Militares nas ruas com seus braços fortes na garantia da manutenção da ordem pública.

Conclamo a sociedade e aos amigos da imprensa, aos que nos tem dado sempre atenção aquilo que escrevemos, estaremos certos que pela determinação da Justiça, pelo medo das punições imposta pelo sistema militar, logo nossos companheiros de farda estarão as ruas novamente, mais ficará um problema sem solução, crescendo feito um vulcão adormecido e que a qualquer momento pode explodir, será que nossas autoridades não percebem ou não querem dar atenção a algo tão preocupante na sociedade brasileira.

Não podemos mais viver num país democrático com exceção, não podemos admitir que diante de uma Constituinte democrática, possamos ver uma “aberração” dos nossos legisladores no passado, quando criaram uma estrutura de segurança pública regida por um regime militar para servir a uma sociedade democrática de direitos, pois do seu conviveu com o povo e a nova política de policia comunitária, vamos percebendo que não podemos ficar a mercê de uma condição diferenciada a que fomos submetidos por um erro ou uma má interpretação de nossos Legisladores quando reformularam nossa constituinte.

É preciso agora, não só falar para a sociedade e a imprensa, quanto a seu papel de conciliador, dizer aos nossos governantes do reconhecimento da importância do Policial Militar nas ruas e que devem ser valorizados, mais também, pedir aos nossos Legisladores que não fiquem nesta inércia, não finjam que não esta acontecendo algo com as estruturas das Policias Militares do Brasil, não esperem o pior para tentar corrigir os erros, façam hoje para que o amanhã possa ser diferente; ainda acredito no meu país e tenho a convicção de que o povo irá pras ruas pedir em nome desta classe POLICIA MILITAR.

POR ROBSON PATRÍCIO – “Com Segurança, vamos juntos”.

Deixe seu comentário