Um bom começo para um ano que promete muito * Jailson Lima

imageOs bons ventos das férias escolares fizeram soprar sobre as ruas de Petrolina um verdadeiro redemoinho de atrações artísticas neste início de ano. Foi bom demais a 6ª edição do Festival Janeiro Tem Mais Artes, que encheu de agradáveis surpresas nossas tardes/noites com um leque variado de atrações teatrais, música, poesia, dança e artes visuais. Mesclando linguagens e diversificando espaços – ora no Sesc Petrolina, ora no Bambuzinho e até nas águas do Velho Chico, O Janeiro Tem Mais Artes desse ano superou as edições anteriores, com mostras de singular beleza, espetáculos magistrais e uma série de ações de capacitação, incluindo duas residências artísticas em teatro e dança e mais sete oficinas de artes com temas, a exemplo de Iniciação Teatral, Dança do Ventre e Iniciação ao Canto e Técnica Vocal para Jovens e Adultos.

Traçando um olhar panorâmico sobre a cena regional, tivemos logo na abertura (22/01), o Samba de Véio da Ilha do Massangano. E para agradecer tamanha gentileza, nomes conhecidos do cenário musical, a exemplo de Fabiana Santiago, Eugênio Cruz, Joyce Guirra e Camila Yasmine, brindaram o público no Teatro Dona Amélia com o espetáculo Da Ilha pra Cá.Um musical que emocionou a todos com releituras fantásticas e livremente inspiradas nesta que é, seguramente, uma das maiores referências da cultura popular do Vale do São Francisco.

Daí até o encerramento, no dia 31, com um concorrido show do Coletivo Não Identificado, cantando músicas de carnaval, não faltaram atrações para públicos de todas as idades. Invariavelmente, o movimento começava às 18h, na praça do Bambuzinho com intervenções artísticas curtas. Nosso foco era a oferta gratuita de atrações culturais para o público comerciário, de saída do trabalho neste horário. Depois, as atenções se voltavam para o Sesc Petrolina, onde o público pôde conferir espetáculos de excelente qualidade, a exemplo de A Pena e a Lei, com o TPA – Teatro Popular de Arte e exposições como, Imagens, Vestígios do Tempo, do fotógrafo/poeta juazeirense Euvaldo Macedo Filho, que fica aberta até o final de março.

E por falar em Euvaldo Macedo, outro momento inesquecível desta 6ª edição do Janeiro Tem Mais Artes foi certamente o Recital Travessia Poética, quando em pleno rio São Francisco, a bordo de um Catamarã, compartilhamos uma bonita homenagem à poesia deste artista, com versos e canções apresentados por poetas de Juazeiro e Petrolina.

Considerado um dos três festivais mais importantes do Sesc Petrolina, ao lado do Vale Dançar (realizado em abril) e da Aldeia do Velho Chico (em julho/agosto), o Janeiro Tem Mais Artes 2014 também será lembrado pela Leitura “Loretta Strong” com Renata Pimentel (única atração visitante), e ainda pelos espetáculos infantis Dó Ré Mi e Mundo do Circo. O Ensaio Curral Grande impactou a plateia com o tema pouco conhecido dos Campos de Concentração no Ceará, durante a Seca de 1932, e o Recital Para se Encontrar fez todo mundo reviver a palavra/canção de Caetano, Chico e tantos poetas entre nós. Para completar tanta alegria na poesia em janeiro, o espetáculo Para Sempre Teu, que foi apresentado aqui no dia 29, pela nossa Qualquer Um dos 2 Cia de Dança, ganhou em Recife no dia 30, o Prêmio Apacepe de Melhor Coreografia. Certamente, um bom começo para um ano que promete muito.

* Supervisor de Cultura do Sesc Petrolina.

Clas Comunicação

Blog do Banana

Deixe seu comentário