Sem apoio da Univasf após ser assediada sexualmente e moralmente por professor, estudante pede transferência do curso de medicina veterinária

A estudante do quarto período do curso de Medicina Veterinária da Univasf (Universidade Federal do Vale do São Francisco), Campus Petrolina, Amanda Sá, (22 anos), resolveu romper o silêncio sobre o episódio envolvendo o professor de Bioquímica – Wagner Pereira Felix, acusado por ela, de ter cometido assédio moral e sexual nas dependência da instituição federal. Fato ocorrido em 2016.

Amanda conta em entrevista exclusiva concedida na sede do Blog do Banana, que os assédios cometido por Wagner, vão desde abraços nos corredores da Universidade e palavras eróticas. “Ele me escolheu para fazer brincadeiras de mal gosto. Ficava me chamando de menina má; te amo diabo do meu ódio, te amo porra (…). Embora ficasse quieta, o professor Wagner, me abraçava, mas nunca fui complacente com a atitude dele, e sempre pedia para ele me largar e parar com aquilo”, afirmou.

A estudante conta ainda que por causas das brincadeiras sem graça do docente não teve mais condições psicológicas de continuar frequentando as aulas de bioquímicas ministradas por Wagner, entrou com o processo na Justiça Federal.

Amanda Sá sempre procurou resolver o problema administrativamente na Univasf, no entanto, foi orientada pelo professor coordenador, João Alves, a entrar com um processo judicial, caso a instituição de ensino não resolvesse a situação. Após o imbróglio jurídico, o professor teve que pagar multa, no valor de R$ 20 mil, para reparar os danos causados na vida acadêmica da aluna.

Confira abaixo, a íntegra da entrevista concedida ao blogueiro Ricardo Banana, nesta terça-feira, (17 de abril).

 

Deixe seu comentário