Chamada de ‘Moeda Podre’ por Osvaldo e Cristina, Projeto Pontal recebe ação de distrato pela Codevasf

Defensores da ação de distrato do Projeto Público de Irrigação Pontal, na Zona Rural de Petrolina, os deputados petrolinenses, Osvaldo Coelho e Isabel Cristina, “In Memoriam”, espiritualmente veem o legado da ação de distrato ao modelo de Parceria Público Privada do Pontal (PPP), ser iniciada por uma intervenção da Codevasf, no 2º dia de janeiro de 2017.

Em 2011, na gestão do ex- Ministro da Integração, Fernando Bezerra Coelho, o Governo Federal decidiu transferir as áreas do Projeto Pontal para o setor privado através de uma (PPP), mas a parceria que envolve uma área irrigável de 7.717 hectares do pontal não agradava boa parte dos colonos por que excluía os nativos das áreas onde foi instalado o Pontal.

Diante da nova formatação que foram defendidas pelos parlamentares Osvaldo e Cristina, o Perímetro Irrigado deverá por uma licitação de lotes irrigados em sistema de colonização.

A presidente da Codevasf, Kênia Marcelino disse que o órgão está em dialogo com o INCRA para a retirada das famílias que ocupam as áreas desmatadas do Pontal que segundo ela inviabilizaram a continuidade de plantações no projeto. Kênia destaca ainda que a reintegração de posse já foi emitida e a Codevasf estuda a melhor forma para retirada das famílias que ocupam a área do Pontal.

“Nós já estamos com a equipe da Codevasf elaborando o termo de referência e ainda esse mês (janeiro) nós assinaremos o distrato com a empresa pólo e aguardamos que até fevereiro a gente já esteja com o termo de referência finalizado para que nós possamos fazer a licitação dessas áreas por lotes”, enumerou a presidente da Codevasf, Kênia Marcelino.

Blog do Banana

Deixe seu comentário