Codevasf e MST definem pauta de ações para os assentamentos do Sertão pernambucano

imagemIntegrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) na região do Sertão do São Francisco voltaram a se reunir na segunda-feira, dia 14, com o superintendente da Companhia de Desenvolvimento dos Vale do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Pernambuco, João Bosco Lacerda de Alencar. O encontro aconteceu na sede do órgão em Petrolina e debateu a pauta de reivindicação do movimento entregue no mês passado durante audiência com o superintendente.

Dois assuntos são prioridades para o MST junto a Codevasf: a implantação de projetos de irrigação nos assentamentos e os sistemas de abastecimento d´água para as comunidades. O superintendente João Bosco Lacerda, mais uma vez se colocou à disposição do MST para viabilizar dentro do que for permitido para a Codevasf, as demandas do movimento.

“Precisamos estar conversando para levantar as demandas, elaborar os projetos e em seguida, batalhar pelos recursos. Vamos ter conversas mensais para ir atualizando as informações”, revelou João Bosco.

O superintendente informou que a parceria com o Incra vem sendo ampliada para atender as demandas dos assentamentos do MST na região de atuação da 3ª SR.

“Estamos com essa aproximação com o Incra para firmar parcerias e avançar no tocante aos projetos. A presença do Incra é essencial, cedendo seus técnicos para nos ajudar na agilização desses estudos. Nas reuniões iremos trocar ideias e acompanhar o que pode ser feito”, acrescentou João Bosco Lacerda.

Uma das demandas mais antigas dos assentamentos localizados no Sertão do São Francisco é a implantação do projeto de irrigação do Assentamento Catalunha, em Santa Maria da Boa Vista. São 600 famílias assentadas em 1800 hectares e que há quase 10 anos esperam poder contar com a irrigação em suas terras.

A Codevasf retomará os estudos para a irrigação na área, conforme frisou o chefe da Gerência de Infraestrutura e Desenvolvimento da 3ª SR, Ricardo Lisboa.

“Vamos sentar com a comunidade e retomar o projeto. Vale frisar que não se pode esquecer nessa discussão de colocar no projeto, a assistência técnica e a gestão do perímetro, pontos importantes para a viabilização do empreendimento e da produção dos assentados”, alertou Ricardo.

O presidente da Cooperativa dos Produtores do Assentamento Catalunha (Coopecat), Reginaldo Menezes, disse que agora está com mais esperança de ver irrigada a área. “Essa é uma luta de quase 10 anos. Gente que tem que trabalhar em terra alheia porque não tem a irrigação em sua área. Com a entrada da Codevasf no processo, vamos caminhar e ver enfim a irrigação chegar em nossas terras”, destacou o presidente da Coopecat.

A reunião contou ainda com a participação do gerente regional de revitalização das bacias do rio São Francisco da 3ªSR, Elijalma Augusto Beserra, que falou sobre ação do Governo Federal para irrigar pequenas áreas de 1 a 5 hectares em assentamentos da reforma agrária. A Codevasf fará a implantação dos lotes, mas a licitação só deve ocorrer em junho e atenderá assentamentos coordenados por várias entidades na região de atuação da superintendência em Pernambuco.

Ao todos serão 100 pequenos sistemas de irrigação, 40 para irrigar até 1 hectare e 60 para 5 hectares. “Cada sistema atenderá média de 30 famílias assentadas, por isso quanto mais organizado for o assentamento, já cadastrando quais serão essas famílias contempladas, mais rápidas elas receberão esses sistemas”, aconselhou Elijalma.

A próxima reunião do MST com a Codevasf em Petrolina ficou marcada para o dia 12 de maio.

Ascom

Blog do Banana

Deixe seu comentário