Expovale quer fortalecer criação de caprinos e ovinos na região através de cadeias produtivas e melhoramento genético

A 6º Expovale quer mostrar que é possível tornar a produção de caprinos e ovinos no Vale do São Francisco mais rentável. Para tanto na edição deste ano, que acontece na Univasf de Juazeiro do dia 26 a 29 de abril, seus organizadores darão destaques a raças diferenciadas. Uma delas é a caprina boer. Dentro do evento acontece também a 12º Boer. Outro animal que estará em evidência na Exposição é o carneiro doper.

Essas raças têm origem na África do Sul. Para a região são trazidos embriões, única forma de entrar no país, explica Adilson Moura, diretor de eventos da Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos do Vale do São Francisco(Acosvf).

“A partir da introdução de raças como essas em nossa região, o sonho de se ter uma cadeia produtiva cada vez mais forte pode virar sim uma realidade. Com um animal desses, por exemplo, em seis meses pode-se até 20 quilos de carne de alta qualidade”, avalia Moura.

Para o diretor da Acovasf, entidade que promove a Expovale, com o melhoramento genético e o fortalecimento da cadeia produtiva de caprinos e ovinos no Vale, será possível chegar aos grandes mercados nacionais, como o de São Paulo, sem precisar de atravessadores.

” Com a introdução de raças com a doper e boer todos saem ganhado, do pequeno ao grande produtor. É melhor para todo mundo”, garante Adilson Moura.

Segundo Moura, depois da Exposição acontecerão reuniões com representantes de diferentes organizações governamentais. A ideia é dar andamento aos trabalhos em busca do fortalecimento da caprinovinocultura regional.

Os organizadores do Expovale esperam cinco mil pessoas a cada dia de atividades. Várias autoridades confirmaram presença. Entre elas, o secretário de Agricultura da Bahia, Eduardo Salles. Todos os stands foram vendidos. O Banco do Nordeste e o Sebrae, dentre outros órgão públicos, estarão representados.

Deixe seu comentário