Rolo compressor: todos contra Kassab

Partidos da base do governo e da oposição iniciam nesta semana uma ofensiva na Justiça Eleitoral para impedir que o PSD conquiste parcela maior do fundo partidário e tempo de televisão. DEM, PSDB, PPS, PMDB, PR, PMN, PTB e PP já têm pronta uma resposta ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) contra a redivisão do fundo e do espaço para propaganda dos partidos. As ações devem ser protocoladas na quarta-feira e seguem um parecer do ex-ministro Paulo Brossard. O argumento é que o PSD só deve ter acesso ao benefícios após as eleições de 2014, quando enfrentará as urnas.

Presidente do DEM, o senador José Agripino Maia (RN) diz que as siglas não estão voltadas contra o PSD. ‘É uma questão de justiça. Os nossos argumentos são técnicos, claros, e serão acolhidos pela Justiça Eleitoral”. O discurso é reforçado pelo presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO). ‘Nós entendemos que isso não cabe, só depois de 2014. Eles não tiveram votos.’

A justificativa para derrubar o tempo de TV é que os parlamentares que migraram para a legenda, criada no ano passado pelo prefeito Gilberto Kassab, conseguiram se eleger graças aos votos nas siglas que deixaram. Segundo a ação, dos 47 deputados do PSD, apenas 1 foi eleito com voto próprio. ‘Estão querendo levar para o PSD algo que não é deles: os votos’, disse o advogado do DEM, Fabrício Medeiros.

Fonte: Blog do Magno

Publicado às 19:54

Deixe seu comentário