A incapacidade da discussão programática e de resultados em Petrolina

imagemRecentemente alguns membros do grupo político do ex-prefeito de Petrolina, hoje pré-candidato ao senado federal pelo PSB, Fernando Bezerra Coelho, ensaiaram uma comparação dos resultados da gestão do prefeito Julio Lossio (desde 2009) e do governo de FBC, findo em 2006.

FBC e seu grupo foram governo durante dez anos e deixaram o município com grandes déficits sociais, principalmente nas áreas de Saúde, Educação, Habitação, entre outras. Mas a realidade vista hoje comprova os avanços de uma política com uma verdadeira preocupação com o social e diante dessa realidade que soberanamente foi imposta pelas urnas, tanto em 2008 quanto em 2012, escolheram recuar da discussão programática e propositiva para o apelo a ofensas pessoais por meio das mídias sociais.

O grupo do ex-Ministro foi incapaz de, ao longo de todos esses anos, visualizar que o nosso foco possui um eixo principal que são as políticas sociais de educação, saúde, habitação e regularização fundiária.

Vejamos os números da Educação: o governo de FBC, no ano de 2006, investiu em Educação 36 milhões de reais, sendo apenas 19 por cento de todo o orçamento executado naquele ano. O Governo Lossio investiu em 2013 mais de 150 milhões (uma variação de 314%), o que representou um percentual de 38,5% das despesas no último ano.

Analisando em termos proporcionais a população, FBC aplicou em 2006 menos de 140 reais per capita, o governo Lossio aplicou quase 470 reais per capita em 2013, uma variação de 236,5% neste indicador.

Os resultados são perceptíveis a olhos nus, pois enquanto o município no último ano do Governo de FBC proporcionou a oferta de apenas 983 vagas em creche, o Governo Lossio ofertou 5.451 em 2013. Na pré-escola foram ofertadas 4.143 vagas em 2006 no governo de FBC, no governo Lossio em 2013, foram ofertadas 7.180. No ensino fundamental, enquanto no último ano do governo FBC foram ofertadas 21.579 vagas, em 2013 foram ofertadas 30.960.

Somado a isso, as iniciativas de estímulo ao conhecimento, à capacitação dos professores, o reconhecimento do mérito dos educadores e educandos garantiram ao município avanços na alfabetização e redução do analfabetismo, também nos resultados da prova Brasil, onde Petrolina mostrou evolução em todas as avaliações e comprova a qualidade da educação do município bem acima da média do Estado em todos os indicadores (Português e Matemática, do 5º e do 9º ano).

Ainda em termos qualitativos, os resultados já apareceram desde o primeiro governo de Lossio, como foi comprovado pelo IDEB em 2011. Enquanto nos anos de FBC esse indicador, para as séries iniciais e finais foram de 3,3 e 2,9 respectivamente, nos anos de Lossio esse indicadores saltaram para 4,8 e 4,1.

Esses são resultados de uma política governamental que tem como principal preocupação o cuidado com as pessoas, com efeito prático pelos investimentos nas áreas sociais. Essa é a discussão que interessa a sociedade, é essa discussão que nós propomos. Sabemos que não temos nas mãos a perfeição, mas temos procurado criar condições viáveis a partir da educação, reduzindo a desigualdade e buscando o caminho dos justos. Infelizmente, para algumas pessoas da política em Petrolina o “ideal seria um cinema sem filme, um balé sem dança, um teatro sem peça e um romance sem o devido amor”, como disse Arnaldo Jabor.

Geraldo Francisco da Silva Junior

Secretário de Planejamento, Orçamento e Gestão de Petrolina

Blog do Banana

Deixe seu comentário