Em 40 anos, aridez do solo deu lugar à fruticultura irrigada em Petrolina, PE

Na série de reportagens dos 40 anos da Globo Nordeste, comemorado no próximo domingo (22), o Bom Dia Pernambuco mostra, nesta quinta-feira (19), o desenvolvimento do Vale do São Francisco. Há quatro décadas, a cidade de Petrolina era apenas uma passagem para Juazeiro, na Bahia, e se transformou em um grande polo de fruticultura irrigada.

Quem imaginou que a caatinga iria se transformar em um oásis no meio do Sertão pernambucano? Só se via uma imensidão de terra pincelada apenas com a cor cinza, que lembrava a aridez do solo. Atualmente, em 300 mil hectares do Vale do São Francisco, o verde tomou conta da plantação, graças a tecnologia da agricultura irrigada. Desta extensão, aproximadamente 20 mil hectares produtivos estão em Petrolina. Uma conquista que exigiu a união de forças de políticos, empresários e instituições federais, como a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba, que até hoje administra os projetos irrigados.

O gerente de irrigação da Codevasf, Luiz Manoel de Santana, fala da implantação dos projetos. “O fluxo migratório de população de outras regiões do Sertão para esses polos de agricultura irrigada […] Hoje nós temos o município de Petrolina, por exemplo, com aproximadamente 300 mil habitantes, onde há três, quatro décadas não chegavam nem a 100 mil habitantes. Isso é fruto da geração de emprego que tem sido promovida com atividade agrícola irrigada, que é intensiva, com pequenas áreas que conseguem produzir muito, e conseguem ter uma renda e uma promoção de melhores condições de vida para a população”, explica.

Um desenvolvimento social e econômico que por inúmeras vezes já foi destaque na tela da TV Globo, quando mostrou para todo estado de Pernambuco o resultado de trabalhos de pesquisa e investimentos nessa parte do Sertão. Isso não deixa de ser um incentivo a mais para a Embrapa Semiárido, que há 37 anos desenvolve pesquisas com foco no melhoramento da agricultura da região. O trabalho confirmou a viabilidade do Vale do São Francisco. De lá pra cá, muita coisa mudou.

A fruticultura irrigada deu certo porque o Vale do São Francisco e seu povo acreditaram nesta ideia. As pessoas depositaram nessas terras todas as expectativas. É por isso que hoje tem histórias de muitos personagens, peças chaves para a construção desse sucesso, pessoas como Seu Josival, que se formou em agronomia em 1969 e desde então exerce a atividade. Ele conhece essa história na palma da mão e foi o primeiro a chegar para implantar a agricultura irrigada. “Antes de alguém investir na irrigação a gente teve um trabalho que partiu na frente, um estudo encontrou a irrigação como possível alternativa. As pessoas acreditaram e se jogaram na irrigação”, conta Josival Amorim Coelho, agrônomo e fruticultor

A cidade que anda a passos largos não para de crescer. Além da fruticultura irrigada, Petrolina apresenta outros potenciais econômicos que alavancam ainda mais o progresso. A construção civil avança na cidade. Na educação, já são quatro universidades, além de escolas e institutos de ensino federais. O secretário de Desenvolvimento Econômico da cidade aponta as conquistas para o município, que tem o sexto maior PIB do estado de Pernambuco. “Petrolina atrai muitos investimentos. São cerca de R$ 200 milhões que tem de investimentos aqui nos próximos anos e a questão de recursos humanos. Petrolina é uma cidade hoje universitária, concentra quatro faculdades, duas universidades federais e duas faculdades que são grandes centros geradores de recursos humanos. Então Petrolina também caminha para ser uma cidade com altos níveis e potencial tecnológico”, acredita.

Fonte: Petrolina1

Blob do Banana

 

Deixe seu comentário