Paul McCartney em ampla sintonia com público recifense

No Recife, quando as pessoas querem saber se seus amigos pretendem ir à determinada apresentação, elas normalmente usam expressões como “Tu vai pra Tom Zé?” ou “Tu vai pra Ivete?”. Dificilmente se fala “Você vai ao show de Sicrano?” É um linguajar que denota intimidade, carinho com aquelas pessoas que lhe proporcionam breves, porém, inesquecíveis momentos de alegria. Foi o que se viu durante os dias que antecederam à vinda de Paul McCartney até as despedidas finais do inesquecível show que ele fez no domingo (22) no Estádio do Arruda, o segundo e último da sua primeira passagem pelo Nordeste.

Acompanhado por excelentes músicos, o ex-beatle conseguiu se conectar com as cerca de 35 mil pessoas que compareceram à arena de maneira incomum, divertida e surpreendente. Afinal, não é todo artista internacional que se dispõe a querer conhecer e se comunicar com o público usando palavras e gírias amplamente conhecidas e faladas por gente das mais variadas classes sociais de um estado, de uma cidade em específico

Foi como se ele pensasse que dizer simplesmente obrigado e boa noite não fosse o bastante. O bom mesmo é falar “salve a terra de Luiz Gonzaga”, “povo arretado”, “vocês são cabra da peste”. Até boneco de Olinda versão Paul McCartney apareceu no meio do público, no gramado.

Formada em ciências sociais e, atualmente, estudando fotografia, a pernambucana Alexsandra Mergulhão, 31 anos, assistiu aos dois shows de Macca da arquibancada superior do Arruda, local bem distante do palco comparado à visão privilegiada dos que estavam na pista premium. “Ao meu redor, havia gente mais simples, que estava ali para ver um show internacional pela primeira vez. A maioria não devia entender as palavras em inglês ditas por Paul, mas se sentiam acolhidos e tocados por ele se esforçar para falar o ‘português nordestino'”, relata Alexsandra.

O show começou às 21h30, com o som um pouco baixo, porém muito bem equalizado. No repertório, 37 canções de todas as fases da carreira de Paul. Obviamente, assim como aconteceu em Porto Alegre, São Paulo e no Rio de Janeiro ano passado e reatrasado, as músicas mais celebradas foram as do tempo dos Beatles. No entanto, houve espaço para empolgação com faixas da sua carreira solo a exemplo de Jet, Band on the run e a apoteótica Live and let die – com direito a explosões, fogos e jogos de luzes. A belíssima balada My Valentine – que consta do seu novo álbum Kisses on the Bottom – mostra que Paul tem ainda muito talento para criar tocantes melodias. Mas, no geral, é difícil e até injusto destacar os bons momentos do concerto, visto que eles foram muitos.

Como aconteceu na noite de sábado, Paul recebeu convidados no palco. Dessa vez, quem teve a oportunidade de chegar junto do ídolo e conversar com ele foram a jovem professora de Brasília Cecília Gontijo e o recifense Hermilo Borba, 44, que estava acompanhado de seu filho Rafael, de 12 anos. Todos conversaram por breves momentos com o artista. Cecília pediu para que esse autografasse o braço dela. Mccartney brincou e indagou: “Sua mãe está sabendo disso?”.

Veja o setlist do show de Paul McCartney realizado no domingo (22).

1-Hello Goodbye

2- Junior’s Farm

3- All My Loving

4- Jet

5- Drive My Car

6- Sing the Changes

7- The Night Before

8- Let Me Roll It

9- Paperback Writer

10- The Long and Winding Road

11- 1985

12- My Valentine

13- Maybe I’m Amazed

14- I’ve Just Seen a Face

15- And I Love Her

16- Blackbird

17- Here Today

18- Dance Tonight

19- Mrs. Vanderbilt

20- Eleanor Rigby

21- Something

22- Band on the Run

23- Ob-La-Di, Ob-La-Da

24- Back in the USSR

25- I’ve Got a Feeling

26- A Day in the Life/Give Peace a Chance

27- Let It Be

28- Live and Let Die

29- Hey Jude

Bis

30- Lady Madonna

31- Day Tripper

32- Get Back

Bis

33- Yesterday

34- I Saw Her Standing There

35- Golden Slumbers

36- Carry That Weight

37- The End

 

Fonte: JC Online

Blog do Banana

Deixe seu comentário