Reunião discute a implantação do Parque do Tatu Bola

imageA criação do Parque do Tatu Bola do Semi-Árido foi o principal tema de reunião que aconteceu na noite desta quinta, no gabinete da prefeitura de Petrolina. Estiveram presente o prefeito Julio Lossio; o secretário estadual do Meio Ambiente, Sérgio Xavier, o professor da Universidade Federal do Vale do São Francisco, José Alves de Siqueira; além de representantes da Agência Estadual do Meio Ambiente e das prefeituras de Santa Maria da Boa Vista e Lagoa Grande.

O projeto – que deve ser desenvolvido de maneira interinstitucional, com a participação das esferas públicas dos poderes constituídos, universidade, Conselhos de Meio Ambiente e a comunidade de maneira geral – objetiva conscientizar a população sobre a importância da preservação do bioma caatinga, além de preservar a espécie do tatu bola, escolhido como mascote da Copa do Mundo 2014. Essa espécie ocorre apenas na caatinga e no cerrado e figura na lista dos animais ameaçados de extinção.

O grupo que participou da reunião na noite desta quinta já pretende lançar oficialmente o projeto do Parque em abril, no Dia da Caatinga. Pesquisadores do Centro de Referência para Recuperação de Áreas Degradadas da Caatinga (CRAD) da Univasf, sob a coordenação do professor José Alves de Siqueira , já mapearam as áreas mais propícias para a instalação das unidades de conservação, compreendendo regiões de Petrolina, Lagoa Grande e Santa Maria da Boa Vista.

“Este é um momento ímpar, termos representantes de tantas instituições embuidos nesse projeto que visa, sobretudo, a preservação desse bioma que é único. Precisamos pensar no desenvolvimento sustentável, preservando a biodiversidade. Não podemos deixar passar esse momento no qual teremos um evento que vai atrair os olhos do mundo inteiro. Temos que fazer esse projeto de forma arrojada”, destacou o professor José Alves Siqueira, da Univasf. Junto à sua equipe, o docente já fez estudos preliminares – que incluem dados como definição das áreas de interesse, visitas in loco, macro avaliação da paisagem – que servem de subsídio para que órgãos como as prefeituras envolvidas e o governo do Estado já busquem andar com os trâmites burocráticos e a aquisição de recursos.

O secretário estadual do Meio Ambiente, Sergio Xavier, elogiou a iniciativa e já colocou sua equipe à disposição para o avanço na implantação do Parque do Tatu Bola. “No que depender do governo estadual, contem conosco. Estamos impressionados com os estudos de alto nível que já forma feitos pela Universidade Federal do Vale do São Francisco e já podemos sair com um compromisso firmado. Temos essa dívida com o meio ambiente. É impressionante como a humanidade, por mais que detenha conhecimento, ainda continue agredindo o meio ambiente de forma tão intensa, e isso a gente vê, isso a gente tem conhecimento através dos Fóruns dos quais participamos. Então, se pudermos fazer a nossa parte, preservando a natureza que está perto de nós, já é um grande passo”, pontuou.

Para o prefeito de Petrolina, Julio Lossio, a implantação de um projeto como esse é de suma importância, sobretudo a médio e longo prazo. “A caatinga é um bioma único, com toda a sua diversidade, responsável por 60% da área do Nordeste. É uma região importante não só do ponto de vista regional, mas nacional e internacional. Precisa ainda ter mais estudos em cima de sua diversidade e acreditamos que quando implantamos um Parque como esse, estamos ajudando a preservar as espécies e também oferecendo um equipamento importante para que os pesquisadores, estudantes e a própria população possam ter como referência na hora de estudar e conhecer o ambiente no qual estão inseridos”, destacou.

No próximo dia 13, em Recife, durante reunião do Conselho Estadual do Meio Ambiente, o projeto será apresentado.

Ascom

Blog do Banana

Deixe seu comentário